varzinhaemfoco

Livros dão alma ao universo, asas para a mente, voo para a imaginação,
e vida a tudo
”. (Platão)

Resumos – Kleiton Karvalho


Última parada: Auschwitz

Autor: Eddy de Wind

Resumo: Neste “diário de sobrevivência” o autor e médico judeu Eddy de Wind, através de um personagem fictício chamado Hans, narra um pouco de suas experiências e atrocidades presenciadas em Auschwitz, um dos lugares mais terríveis da história da humanidade. Lá ele é separado de sua esposa Friedel, que vai trabalhar no Bloco feminino onde ocorrem cruéis experimentos médicos. Hans vive entre a angústia e o medo do que pode ocorrer à sua esposa e à rotina diária de fome, trabalho pesado, doenças e morte. A leitura fica um pouco cansativa no decorrer da história, mas bastante tensa nos capítulos finais. Quando os nazistas fogem do campo, próximo do fim da guerra, Hans – ou Eddy – consegue se esconder. Neste momento, ele encontra outros prisioneiros sobreviventes, com relatos igualmente assombrosos, como, por exemplo, uma ocasião em que crianças foram jogadas ainda vivas em uma vala para serem queimadas, após passarem pela câmera de gás. O desabafo de uma mulher também chamou-me a atenção:

“Eles fizeram mal o seu trabalho. Depois de pouco tempo, talvez uma hora, retornei a consciência. Estava na cova em meio às mulheres assassinadas. Ainda estava viva. Senti que algo tinha mudado em mim. Que precisava continuar a viver, que queria viver para contar isso, para convencer as pessoas de que isso aconteceu de verdade... Por vingança. Por minha mãe, por meu noivo, e por todos os milhões que foram assassinados. É um tema com variações: câmera de gás, enforcamento, afogamento, fome e mais. Experimentei a morte e posso contar, tenho que contar e farei isso.”

É Horrível e revoltante? SIM! Mas esse horror precisa ser dito. É necessário que o mundo saiba o que aconteceu para que os erros do passado não se repitam.

Junho de 2020 – Kleiton Karvalho